Wanderlei Silva rasga elogios ao Brave 9

Publicado em 30/11/2017
Imagem do Artigo Wanderlei Silva rasga elogios ao Brave 9

O lutador Wanderlei Silva foi um dos convidados de Sua Alteza Sheik Khalid bin Hamad Al Khalifa para o histórico Brave 9: The Kingdom of Champions, disputado no Bahrain em 17 de novembro e saiu de lá impressionado com a qualidade do evento. Em entrevista após a realização do maior show de MMA da história do Oriente Médio, o ex-campeão do Pride comparou o Brave Combat Federation a seus antigos empregadores no Japão.
De acordo com o "Cachorro Louco", assim como o Pride fazia, o Brave prioriza a performance do atleta, ao invés de vitórias, o que faz do evento uma exceção no MMA mundial hoje em dia. 
"Aqui não vale quem ganha. Vale quem luta mais, quem luta com o coração. Tanto faz o resultado. O lutador pode perder, mas se lutou bem, com garra, vai voltar. Isso era o que a gente tinha na época do Japão. Por isso, os lutadores lá davam tudo de si, o pessoal lutava com muito afinco. O que valia era a performance do atleta, não só o resultado. Esse é o diferencial do Brave em relação aos outros eventos," apontou Wanderlei.
Para o ícone brasileiro, a qualidade das lutas e as várias nacionalidades representadas no cage do Brave foram uma grata surpresa. 
"Foi um evento incrível. Foram 21 países representados no cage. Teve país que eu nem sabia que tinha MMA. E as lutas foram muito boas. Teve duelo entre Índia e Paquistão, teve rivalidade entre países, entre academias, enfim, um card muito bem montado. E a qualidade das lutas foi ótima, todos com muita garra. Um evento de primeira, certamente. O Brave 9 não deixou nada a desejar para os eventos mundo afora", garantiu Wand, que não quis escolher uma luta preferida.
"A luta principal foi demais, mas acho até injusto escolher só uma luta, porque todos os combates foram muito bons e tudo muito bem casado", declarou.

Foto: Divulgação

  • World Tatami
  • Polvo Team Fight Club
  • AESIR