Como o Jiu-Jítsu salvou jovem da vida do crime e ajudou no tratamento de criança com transtorno psicológico

Publicado em 08/05/2017
Imagem do Artigo Como o Jiu-Jítsu salvou jovem da vida do crime e ajudou no tratamento de criança com transtorno psicológico

A comunidade de Manguinhos, localizada na zona norte do Rio de Janeiro, já foi um dos locais mais perigosos da capital carioca. Há alguns anos existe lá dentro o Centro de Referência da Juventude (CRJ) - órgão da Secretaria de Estado de Esportes, Lazer e Juventude, que atualmente é coordenado por Cynthia Andrade -, onde são atendidos cerca de 1000 jovens e oferece inúmeras atividades aos moradores locais, incluindo curso, danças e uma variedade de artes marciais, como Jiu-Jitsu, Judô, Karatê, Luta-Livre, Capoeira, MMA, e em breve, Wrestling.
Conhecidas pela campanha “Esporte é Vida” – que apoia equipes como Geração, Spartanos e Morro dos Campeões -, a Legião da Boa Vontade (LBV), a Super Rádio Brasil e a Prime Esportes também dão suporte à estrutura do local e aos atletas, assim como a Federação de Karatê do Estado do Rio de Janeiro (FKERJ), principalmente com tatames, patrocínio para viagens fora do estado, alimentação e quimonos. A sala foi montada há mais de 5 anos pelo grupo de empresas de Boa Vontade.

Jiu-Jitsu para todos
Liderada pelo professor Sandro Moraes, a equipe de Jiu-Jitsu possui cerca de 70 alunos, entre eles jovens que mudaram de vida, assim como tantos outros, graças à arte suave, como explica Sandra, mãe de Luís Fernando, de 20 anos, que chegou a ser preso antes de ser apresentado ao tatame.
“Estou muito orgulhosa dele. Há um ano e três meses ele foi preso justamente por estar no lugar errado, mas um mês depois de ter saído ele começou a treinar aqui e está firme e forte. Ele gosta muito e a mãe está muito feliz por isso”, testemunha a orgulhosa mãe.
Sandra não é a única grata ao Jiu-Jitsu. Karina, mãe do pequeno Kauã, 13 anos, que sofre de transtorno de déficit de atenção. Segundo ela, o filho encontrou a alegria, mudou o comportamento e melhorou o rendimento escolar desde que iniciou as aulas no tatame.
“Ele tem déficit de atenção, e através do Jiu-Jitsu do CRJ de Manguinhos e o professor Sandro Moraes, ele melhorou muito, evoluiu bastante. Ele só vivia triste dentro de casa, não tinha amigos, e por conta do Jiu-Jitsu ele fez amizades, conheceu mais o mundo e melhorou bastante o tratamento dele, e ainda por cima ganhou medalha na primeira competição dele. O Jiu-Jitsu mudou a vida do meu filho”, agradece.
No último final de semana, com apoio da LBV, 32 alunos representaram a equipe do CRJ Manguinhos em um evento no subúrbio carioca e conquistaram 30 medalhas, sendo 16 de ouro, 10 de prata e 14 de bronze. Entretanto, para o professor Sandro Moraes, as conquistas mais importantes não são os metais.
“Tirando essas crianças da rua, eu já afastei alguns diretamente da vida do crime, outros das drogas, e agora estão dedicando seu tempo ao esporte”, comemora.

Karatê, um sonho olímpico
Faixa-preta 5º Dan de Karatê, Marise Covelo dá aula na comunidade há cerca de 25 anos, 9 deles apenas no CRJ. Seus alunos já conquistaram inúmeras medalhas em campeonatos nacionais e estaduais. Recentemente, todos os 20 que competiram na seletiva fluminense se classificaram para a etapa do Campeonato Brasileiro que acontece no início de junho em Vitória, Espírito Santo. Apesar da conquista, a viagem ao estado vizinho ainda não está garantida. A luta agora é para conseguir apoio logístico para a delegação.
“Nossa dificuldade é grande, mas nossa batalha não é de hoje. Graças a Deus, parceiros como Rádio Brasil, LBV e CRJ têm nos ajudado, mas a dificuldade ainda continua, e qualquer ajuda é bem recebida. A viagem não é barata, tem custo com ônibus, alimentação, hospedagem. Enfim, vale a pena investir nesses jovens”, declara a professora, que tem esperança em revelar futuros campeões olímpicos, já que a modalidade estreará nos jogos a partir da próxima edição, na capital japonesa. “Há muito tempo a gente batalha para isso. Depois de tanto correr atrás, de tanta dificuldade, estaremos em Tóquio, se Deus quiser. Aqui eles (alunos) estão preparados, basta só a idade chegar e eles disputarem a classificação. Preparados eles estão”.

Foto: Divulgação

  • TV Pegada
  • Pro Fight MMA Brasil 41
  • Polvo Team Fight Club
  • World Tatami