UFC 157 - Lyoto Machida vence Dan Henderson e, na primeira luta feminina da história do UFC, Ronda Rousey finaliza com mais um arm lock

Publicado em 23/02/2013
Imagem do Artigo UFC 157 - Lyoto Machida vence Dan Henderson e, na primeira luta feminina da história do UFC, Ronda Rousey finaliza com mais um arm lock

Por: Textual / Foto: Divulgação/UFC
  • Na primeira luta feminina da história do UFC, campeã Ronda Rousey repete golpe característico e finaliza Liz Carmouche com chave de braço no primeiro round

 

  • Ex-campeão meio-pesado Lyoto Machida faz noite brasileira na co-luta principal da noite, levando a melhor sobre Dan Henderson por decisão dividida dos jurados

 

  • Em estreia no UFC, ex-Strikeforce Yuri Villefort faz batalha difícil e empolgante, mas sucumbe perante o também estreante Nah-Shon Burrell

 

O UFC inaugurou outro capítulo neste sábado, 23, em Anaheim, Califórnia. Pela primeira vez na história da organização, duas mulheres se enfrentaram no octógono, protagonizando o evento principal do emocionante UFC 157. A pioneira batalha confirmou o cinturão da campeã peso galo Ronda Rousey que, a exemplo do que fez em todas as lutas de sua carreira, finalizou a desafiante Liz Carmouche com uma chave de braço no primeiro round.

Na co-luta principal da noite, o ex-campeão do UFC Lyoto Machida não teve vida fácil, mas superou o temido Dan Henderson para levar, na decisão dividida dos jurados, a vitória que voltou a qualificá-lo como candidato número 1 a disputar o cinturão meio-pesado contra o vencedor de Jon Jones vs Chael Sonnen. No card preliminar, o brasileiro Yuri Villefort estreou no UFC com uma batalha emocionante, mas acabou derrotado por decisão.

Um dos destaques foi Kenny Robertson, que levou o prêmio de finalização de noite ao derrotar Brock Jardine com uma inventiva chave de joelho. Urijah Faber também foi autor de uma finalização criativa, com um mata-leão após uma bela transição sobre Ivan Menjivar. O bônus de luta da noite ficou para Dennis Bermudez e Matt Grice, em uma emocionante batalha que, após levantar os fãs e despontar como favorita precoce de 2013, terminou nas mãos de Bermudez por decisão dividida.

Robbie Lawler e Court McGee foram os outros vencedores do card principal: Lawler nocauteou Josh Koscheck no primeiro round, levando o prêmio de Nocaute da Noite, enquanto McGee dominou amplamente Josh Neer e levou a decisão unânime dos jurados.

Em luta histórica, Ronda Rousey mantém escrita e finaliza Carmouche

Mais uma luta, mais uma chave de braço no primeiro round para Ronda Rousey. Confirmando o favoritismo das bolsas de apostas, a primeira campeã da história do UFC enfrentou dificuldades contra a ex-fuzileira naval Liz Carmouche, mas, com menos de um minuto para o fim do assalto inicial, conseguiu aplicar sua famosa finalização-assinatura e defender com sucesso o cinturão peso galo feminino da organização.

A batalha começou a favor de Ronda que, sem perder tempo, partiu para derrubar Carmouche e buscar a finalização. Liz, contudo, escapou, não deu vida fácil para a campeã e, de maneira similar a Urijah Faber duas lutas antes, chegou a enroscar-se nas costas de Ronda em busca de um mata-leão. Rousey, contudo, conseguiu retomar o controle do embate e, travando a adversária no chão, lançou duros golpes contra seu rosto. Liz resistiu, tentando esconder o braço a qualquer custo, mas acabou sucumbindo perante a técnica da judoca olímpica.

“Estou muito, muito feliz, mas estou começando a me sentir meio acostumada com isso tudo. Certamente amanhã as coisas vão se acalmar, vou poder sentar, absorver tudo que aconteceu e fazer uma dancinha. Mas agora, estou muito cansada para dançar”, brincou Rousey. “Estou honrada de ter feito parte disso. Sei que foi algo realmente especial e acho que vai demorar um tempinho para que eu possa absorver tudo realmente”.

 

Lyoto divide jurados, mas leva vitória sobre Dan Henderson

Em uma batalha apertada, o ex-campeão meio-pesado Lyoto Machida levou a melhor na decisão dividida dos jurados. Se a batalha dividiu os jurados, contudo, não dividiu Dana White, que, na coletiva de imprensa pós-luta, voltou a garantir Lyoto como o próximo da fila para enfrentar o vencedor da batalha entre Jon Jones e Chael Sonnen pelo cinturão meio-pesado.

Lyoto, que havia cogitado descer de categoria para os pesos médios, confirmou a intenção de continuar entre os meio-pesados diante da oportunidade de disputar o cinturão que perdeu para o compatriota Maurício Shogun. Evitando especulações, contudo, o carateca prefere esperar o resultado da batalha entre Jones e Sonnen para analisar a estratégia para seu próximo embate. 

Como de praxe, Lyoto Machida tirou grande parte do primeiro round para estudar o adversário. Enquanto Dan Henderson entrava mais francamente para o embate, Lyoto usava a habitual movimentação para escapar dos golpes e pegar o tempo do rival. No fim do round inicial, Lyoto começava a soltar mais o jogo, conseguindo ainda uma queda nos segundos finais. 

Lyoto voltou para o segundo round mais ativo, surpreendendo Henderson com joelhadas e chutes. Hendo se movimentava mais para a frente, mas o jogo de contra-ataque de Lyoto tinha maior eficiência. A maré foi favorável ao Lyoto até o meio do terceiro round, quando o brasileiro foi derrubado pelo adversário. A batalha, contudo, não se desenvolveu no chão, terminando de pé com panorama similar ao round anterior. No fim das contas, a efetividade contou a favor do brasileiro, declarado vencedor de maneira dividida pelos jurados. 

 

Yuri Villefort faz luta dura, mas perde em estreia no UFC

A noite começou com um duelo de ex-Strikeforces: o brasileiro Yuri Villefort fez sua grande estreia no octógono contra o também estreante Nah-Shon Burrell. Os meio-médios empolgaram com uma batalha franca, mas o queixo duro de Villefort não foi suficiente para superar o excelente jogo de pé de Burrell, e o resistente brasileiro levou a pior na decisão unânime dos jurados. Foi a segunda derrota consecutiva de Yuri, que tem seis vitórias no cartel profissional.

O brasileiro começou bem, arriscando um mata-leão logo no início do primeiro round. Burrell, contudo, logo se desvencilhou, deixando claro não ter intenções de desenvolver o combate no chão. Castigado por duros golpes contra o rosto, o brasileiro persistia na busca por quedas. Apostando no chão até o fim, Villefort fez sua última tentativa com uma chave de calcanhar no terceiro round, mas, por baixo, recebeu duros socos no rosto até desistir da posição. O brasileiro levou a batalha até o fim, mas perdeu por decisão.

 

Confira os resultados completos

 

Card principal:

Ronda Rousey finalizou Liz Carmouche (chave-de-braço) no R1
Lyoto Machida derrotou Dan Henderson por decisão dividida dos jurados
Urijah Faber finalizou Ivan Menjivar no R1 (mata-leão)
Court McGee derrotou Josh Neer por decisão unânime dos jurados
Robbie Lawler derrotou Josh Koscheck por nocaute técnico no R1

Card Preliminar:

Brendan Schaub derrotou Lavar Johnson por decisão unânime dos jurados
Michael Chiesa finalizou Anton Kuivanen (mata-leão) no R2 
Dennis Bermudez derrotou Matt Grice por decisão dividida dos jurados
Sam Stout derrotou Caros Fodor por decisão dividida dos jurados
Kenny Robertson finalizou Brock Jardine por finalização (chave de joelho) no R1 
Neil Magny derrotou Jon Manley por decisão unânime dos jurados
Nah-Shon Burrell derrotou Yuri Villefort por decisão unânime dos jurados

  • TV Pegada
  • Pro Fight MMA Brasil 41
  • World Tatami
  • Polvo Team Fight Club