A maior semana de lutas da história do UFC

Publicado em 03/07/2014
Imagem do Artigo A maior semana de lutas da história do UFC

Começou na terça-feira, 1º de julho, em Las Vegas (EUA), a terceira e maior UFC International Fight Week™ já realizada pelo UFC® em 20 anos. Serão mais de 30 atividades para os fãs e imprensa credenciada entre eventos com a já tradicional UFC Fan Expo, competições de artes marciais, shows e festas na semana que antecede o UFC 175: Weidman vs Machida, no sábado, dia 5, e do TUF 19 Finale: Edgar vs Penn, no domingo, dia 6. A TV Globo transmite logo após o Altas Horas as duas disputas de cinturão do UFC 175; o Canal Combate transmite ao vivo e na íntegra, no sábado, a partir das 19h30, e no domingo, a partir das 18h30. 
Essa semana, Lyoto poderá se juntar a Randy Couture e BJ Penn no hall dos lutadores que conquistaram cinturões de diferentes categorias. “Não fico pensando nisso de ser campeão em duas categorias. Seria sim uma realização, mas algo a ser comemorado depois da vitória”, disse o brasileiro. Sobre uma possível pressão de retomar o cinturão que foi por muito tempo do “Brasil”, o carateca quer manter o foco: “Lógico que quero trazer novamente o cinturão para o Brasil, mas tenho que ficar focado no meu objetivo. Não quero deixar isso me pressionar”.
Mesmo na reta final de preparação, Lyoto garante não ter esquecido da Seleção Brasileira e da Copa do Mundo: “Gosto de assistir a Copa. Estou sim acompanhando e o último jogo último jogo do Brasil foi emocionante. Agora, a seleção joga novamente antes da minha luta. Vamos ver como vai ser esse jogo”.

Rousey em busca da quadra e de representar o Judô
Antes da batalha principal da noite do UFC 175, os fãs irão acompanhar em ação a musa e campeã do UFC na categoria galo feminino Ronda Rousey. A loira, que carrega seu cinturão desde o extinto Strikeforce, parte para a quarta luta dentro do octógono mais famoso do mundo. “Rowdy”, como também é conhecida pelos fãs, enfrenta a canadense Alexis Davis em uma luta de até cinco rounds.
Durante conferência de imprensa, pelo telefone, Ronda falou sobre o fato de ter descansado pouco ultimamente, já que vai para a terceira defesa de cinturão em pouco mais de sete meses e também sobre o duelo judô x jiu-jitsu nesse confronto contra Alexis. “O que acontece é que eu estou sempre em forma e sempre pronta para lutar. Não saio da academia. Eu não gosto muito de descansar e aquele ponto alto depois de uma vitória é o que eu mais gosto de curtir, e não de sentar por aí e descansar”, explicou a americana.
Ronda, medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos Pequim 2008 no judô, defendeu a modalidade na qual começou: “Sempre me irritou isso de sempre pensarem que qualquer wrestler pode vencer qualquer judoca e de que qualquer especialista no jiu-jitsu também pode vencer qualquer judoca. Eu acho que com o judô, você pode sim se manter afastado do jogo de chão. Mas se o judoca pode fazer seu jogo de chão funcionar, ele será um dos melhores do mundo. E eu estou muito feliz em ter a oportunidade de poder mostrar que isso é possível”.

BJ Penn em busca de “vingança” contra Frankie Edgar
BJ Penn é certamente um dos maiores nomes da história do MMA mundial. Antes mesmo de ingressar no UFC, o “prodígio”, como é conhecido no esporte, já havia registrado seu nome no mundo das artes marciais ao se tornar o primeiro estrangeiro a conquistar um título mundial de jiu-jitsu, em 2000. De lá pra cá, o havaiano fez história novamente ao conquistar o cinturão do UFC em duas categorias diferentes. Agora, após três derrotas seguidas, BJ busca retomar o caminho das vitórias e também se vingar de duas derrotas já sofridas para Frankie Edgar. Derrotas que lhe custaram o cinturão do peso leve.
Pela primeira vez na nova categoria (peso pena), BJ garante que não irá sofrer para subir na balança: “A perda de peso está boa. Nunca lutei nessa categoria, mas estou comendo bem e alimentos saudáveis já tem um tempo. Eu não vou ter problema ao subir na balança no sábado”. O havaiano, que fez sua primeira luta no UFC em 2001, comentou sobre o crescimento do esporte: “Sinto falta de algumas coisas daquela época, mas estou muito feliz com o que aconteceu com o MMA e com o que o UFC fez pelo esporte”.
BJ também falou sobre o desejo do adversário em aposentá-lo do esporte: “Eu acho que ele quer me aposentar. E agora estou pensando ‘bom, como vou me alimentar e alimentar meus filhos seu eu me aposentar? ’. Vou me lembrar disso quando entrar dentro do octógono”.

Fonte: Textual / Imagem: Divulgação

  • World Tatami
  • TV Pegada
  • Polvo Team Fight Club
  • Pro Fight MMA Brasil 41